Sapucaia

Classificação

Reino Plantae
Divisão Magnoliophyta
Classe Magnoliopsida
Ordem Ericales
Familia Lecythidaceae
Gênero Lecythis
Espécie L. pisonis

Sinonimia botânica: Couroupita crenulata Miers, Couroupita lentula Miers, Lecythis amapaensis Ledoux, Lecythis amazonum Mart. entre outros.

Sinominos: Cumbuca-de-Macaco, Castanha-de-Sapucaia, Cabeça-de-Macaco, Sapucaia-Vermelha

Caracteristicas:

Planta de grande porte entre 20 a 30 metros de altura, com copa frondosa de coloração rosada na primavera devido as folhas novas. Nativa da Floresta Pluvial Atlântica e região amazônica próximo a várzeas e no interior da mata primária. Seu tronco é reto e cilíndrico podendo chegar a 1m de diâmetro, possui casca fissurada no sentido longitudinal e coloração castanho-claro. Parente da Castanha-do-Pará e do Jequitibá, suas folhas são simples e subcoriáceas, alternas e lanceoladas, de margem pouco serreada, possui um peciolo curto. Com característica caducifólia, as folhas são verdes quando maduras e rosadas quando novas dando a grande beleza da sapucaia, juntamente com suas flores.

As flores são arroxeadas, tornando-se esbranquiçadas quando velhas, possuem um aroma sutil, distribuem-se de maneira racemosa, contendo de 2 a 25 flores por inflorescência. O período de florescimento geralmente vai de setembro a outubro podendo se estender dependendo da região. A floração coincide com a nova folhagem tomando a Sapucaia de uma grande beleza e renovação.

Os frutos da Sapucaia são pixídeos lenhosos e deiscentes com cerca de 10 meses de maturação geralmente coincidindo a abertura dos frutos velhos com a nova florada. Abrindo o opérculo mais conhecido como tampa, revelam-se de 4 a 12 sementes presas por um arilo carnoso branco. Os frutos são utilizados no artesanato para a confecção de peças, potes e etc, pois possuem alta durabilidade. As sementes chamadas de castanhas são comestíveis e muito apreciadas podendo ser consumidas cruas, cozidas ou assadas tal qual as demais castanhas conhecidas.

Árvore Ornamental, com raízes profundas e de grande porte, recomendada para a arborização de parques e canteiros extensos. Possui características de árvore do dossel florestal ou emergente. Preferem boa luminosidade porém não gostam de sol muito intenso e seu crecimento é moderado.

Sua madeira é pesada e castanho-amarelada com alta resistência mecânica e ao apodrecimento, empregada em construções externas como postes, mourões, estacas etc, como também na construção civíl como ripas, tacos, tábuas, portas e janelas, em móveis e também em navios.

As sementes devem ser recolhidas após a abertura dos opérculos. Colocá-las para germinação logo que colhidas em substrato organo-argiloso. A emergência dos brotos ocorre entre 5 e 7 semanas com taxa de germinação em média de 50%, e podem ser transplantads após 7 meses.

Referências:

LORENZI, H; Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol 2, 4 ed. Nova Odessa, SP. Instituto Plantarum. 2002

ROZZINI, C,T; MORS, W,B; Botânica econômica brasileira, 2 ed, revisada e atualizada. – Rio de Janeiro: Âmbito Cultural.1995

http://www.todafruta.com.br/todafruta/mostra_conteudo.asp?conteudo=11970
http://www.alicesoftware.com/webs/trees/aweb/td001/td_00035.htm
http://www.e-jardim.com/produto_completo.asp?IDProduto=195
http://www.fibrolar.com.br/d_sapucaia.shtml
http://www.conhecendoamadeira.com/articles/65/1/Castanha-sapucaia/Page1.html