Pau-pereira (Geissospermum laevis Miers)

Reino Plantae
Divisão Magnoliophyta
Classe Magnoliosida
Ordem Gentianales
Família Apocynaceae
Gênero Geissospermum
Espécie leavis

Nomes Populares: Pau-pereira, Pereirinha, Quinarana, Canudo-amargoso, Pau-forquilha, etc

Características:

Planta de porte arbóreo, lactescente, podendo alcançar até 22 metros de altura, seu tronco apresenta diâmetro médio entre 50 cm com coloração variando do castanho-claro a amarelo,  permeado por sulcos, sua casca descama continuamente. Os ramos novos apresentam coloração ferrugínea, sua folhas são simples de filotaxia alterna, com a face abaxial também cor de ferrugem e pilosas quando novas, tornando-se glabras ao longo do tempo.

Inflorescência em cimeiras axilares, com flores pálidas florescendo de setembro a novembro. Seu fruto do tipo baga leitosa, de polpa carnosa contendo de 5 a 15 sementes.

Espécie perene, secundária, com grande capacidade de regeneração quando injuriada ou submetida à fogo. Sua ocorrência abrange a região Amazônica de terra firme e o Sudeste na região da Floresta Pluvial Atlântica.

Dela utilizam-se a madeira na construção civíl, carpintaria e cabos de ferramentas, a casca amarga possui propriedades medicinais, na cultura popular é utilizado como tônico e antifebril, em testes de laboratório foram encontrados substâncias hipotensoras. Pode ser utilizada no paisagismo em geral devido a seu porte frondoso. A madeira possui um alcalóide conhecido como geissosperina, considerada venenosa pois anula as funções do sistema nervoso central.

As mudas podem ser obtidas diretamente das sementes, não necessitando de qualquer tratamento. Os brotos emergem entre 30 e 50 dias e devem ser conservados a meia luz, a taxa de germinação em geral é acima de 50%.

Referências:

LORENZI, H; Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol 2, 4 ed. Nova Odessa, SP. Instituto Plantarum. 2002

ROZZINI, C,T; MORS, W,B; Botânica econômica brasileira, 2 ed, revisada e atualizada. – Rio de Janeiro: Âmbito Cultural.1995

http://frutasraras.sites.uol.com.br/geissospermum.htm