Cedro

Nomes populares:
acaiacá, acaiacatinga, acajá-catinga, acajatinga, acaju, acaju-caatinga, capiúva, cedrinho, cedro-amarelo, cedro-batata, cedro-branco, cedro-fofo, cedro-rosado, cedro-de-carangola, cedro-do-rio, cedro-cetim, cedro-diamantina, cedro-rosa, cedro-roxo, cedro-verdadeiro, cedro-vermelho, cedro-da-bahia, cedro-da-várzea, cedro-do-campao, iacaiacá.
Ocorrência:
O cedro está amplamente distribuído no território nacional, podemos encontrá-lo do Pará ao Rio Grande do Sul em altitudes de 5 a 1.800 metros. Podemos encontrar alguns exemplares desta espécie no sítio Natureza Divina.
Classificação científica
Reino:
Plantae
Divisão:
Magnoliophyta
Classe:
Magnoliopsida
Ordem:
Sapindales
Família:
Meliaceae
Género:
Cedrela
Espécie:
Cedrela
fissilis Vell.
Esta árvore pode ser encontrada em diversos tipos de formações florestais no Brasil, de porte e beleza apreciável, é muito procurada no mercado nacional e internacional de madeiras. De madeiras leves, possuem diversificados usos e além disso, tem coloração semelhante ao mogno.
O cedro é uma árvore caducifólia (perde suas folhas em épocas de reprodução), com altura variando entre 10 e 25m e DAP (diâmetro à altura do peito), entre 40 e 80cm. Apresenta tronco reto ou pouco tortuoso, a copa é alta e em forma de corimbo, o que a torna muito típica. Quando adulta, precisa de sol, geralmente cresce em clareiras e é medianamente tolerante ao frio.
As folhas são compostas, medindo entre 25 a 45 cm, muito variáveis quanto à forma, com 8 a 30 pares de folíolos oblongo-lanceolados a oval-lanceolados.
Flores agrupadas em tirsos axilares de 30 cm na média, pequenas e de coloração branca, com tons esverdeados e ápice rosado. Trata-se de uma planta hermafrodita (possui flores femininas e masculinas no mesmo exemplar), porém a fecundação é cruzada (a troca de pólens ocorre com outros cedros, sendo favorecido pelos polinizadores que possivelmente são as mariposas) e o mecanismo que favorece a alogamia é o amadurecimento das flores femininas e masculinas em períodos distintos.
Os frutos são cápsulas em forma de pêra, deiscentes (abrem-se na maturação), lenhosas, ásperas, de coloração marrom, com lenticelas claras e alojam de 30 a 100 sementes viáveis.
As sementes são aladas (morfologia que possibilita ser levada longe da planta mãe pelo vento – agente dispersor desta planta), de coloração bege a castanho-avermelhada e apresentam dimensões de até 35mm de comprimento por 15mm de largura. Cada quilograma contém cerca de 21.000 a 24.000 sementes.
Para produção de sementes, deve-se colher os frutos duas ou três semanas antes da abertura natural, para que as sementes não sejam levadas pelo vento. A coloração do fruto indica a maturação, pois passa de verde para marrom-clara, indicando a maturidade fisiológica da semente.
Os frutos devem ser colocados em local seco e ventilado até completar a abertura do fruto; para retirar as sementes, agite os frutos que completaram a deiscência, depois coloque as sementes em sementeiras preparadas com substrato rico em matéria orgânica. A taxa germinativa geralmente é superior a 80% e ocorre após doze à dezoito dias da semeadura.
A floração e frutificação do cedro ocorre somente após 10 a 15 anos de seu plantio, e os períodos reprodutivos desta planta ocorrem em difentes épocas do ano, nos diferentes estados do país. Como exemplo, em São Paulo e Paraná, a floração ocorre de setembro á janeiro, no Pará ocorre de janeiro á março. A frutificação em São Paulo ocorre de junho á setembro e no Paraná ocorre de julho à agosto.
Normalmente, o cedro ocorre em solos profundos e úmidos, de textura argilosa a areno-argilosa, e bem drenados. Não se desenvolve adequadamente em solos mal drenados, rasos ou com lençol freático superficial.
O cedro também apresenta crescimento pouco afetado em solos contaminados por metais pesados.
A praga mais importante para o cedro é a broca-do-cedro (Hypsipyla grandella Zeller), que ataca a gema apical da planta, dificultando seu desenvolvimento ou até mesmo levando a planta á morte.
A madeira do cedro é amplamente utilizada na construção civil, naval e aeronáutica, movelaria, marcenaria, confecção de instrumentos musicais e esculturas, entre outros.
Além disso, da madeira do cedro extrai-se óleo essencial com perfume semelhante ao cedro-do-líbano.
Por ser uma árvore de beleza ornamental, pode ser empregada em projetos paisagísticos e arborização urbana. Além disso, é de grande importância seu uso na recuperação florestal de áreas degradadas e de matas ciliares, também para recuperação de solos contaminados por metais pesados.
Fontes consultadas:
LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum, 1992. 352p.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Acaiac%C3%A1
http://www.ipef.br/identificacao/cedrella.fissilis.asp