Bracatinga

Mimosa scabrella Benth.
Nomes populares:
bracaatinga, bracatinga, abracaatinga, aabracaatinga, bracatinho, paracaatinga.
Ocorrência:
Rio Grande do Sul em regiões de altitudes na floresta de pinhais à São Paulo.
Taxonomia
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Fabales
Família: Leguminosae-mimosoideae
Gênero: Mimosa
Espécie: Mimosa scabrella Bentham; Hook. Journ. Bot. 4:387, 1842.
Sinonímia botânica: Mimosa bracaatinga Hoehne
Esta árvore nativa, alcança em média de 4 a 18 metros de altura e 30 a 40 cm de diâmetro e é muito utilizada nos sistema agroflorestal, tendo múltiplos usos no sul do Brasil. Atualmente, perde espaço no mercado da construção civil, sendo substituída por blocos de serragem prensada e andaimes metálicos ou plásticos.
É importante destacar que a madeira da bracaatinga possui grande capacidade de armazenar energia solar, sendo de grande utilidade o seu cultivo para uso como lenha. Outras características desta planta que podem ser aproveitadas são o uso medicinal, apícola, alimentação animal, possibilita a produção de cogumelos comestíveis, e também outros usos de sua madeira, como: carvão, cabos de ferramentas, móveis, pontaletes e outros usos na construção civil. Pode também ser empregada no paisagismo com sucesso devido sua beleza ornamental, podendo ser usada na arborização de ruas estreitas.
Planta pioneira, de rápido crescimento, considerada de grande importância para recuperação de solos degradados e na recomposição vegetal de áreas desmatadas.
Possui a capacidade de depositar até 8 toneladas de material orgânico e 200kg de nitrogênio, por hectare, essa característica favorece o início de sucessão arbórea, facilitando a instalação de de outras 60 espécies vegetais mais resistentes à situações adversas que a bracatinga. Além disso, associa-se com rizobium e micorrizas arbusculares responsáveis pela absorção de nutrientes, especialmente o fósforo. Estas características levaram esta planta á ser utilizada na recuperação de áreas submetidas à extração de bauxita, com excelentes resultados na sua recuperação.
Morfologicamente, apresenta folhas compostas muito variáveis, com 4 a 14 pares de pinas opostas de 3-6 cm de comprimento; folíolos em número de 15-30 pares por pina, de 4-8 mm de comprimento e de característica perene. Sua madeira, dura ao corte, apresenta-se moderamente pesada e resistência média.
Suas flores, amarelas e pequenas, são agrupadas em capítulos pedunculados, axilares ou terminais, em racemos curtos. São altamente melíferas e por isso, muito visitadas por abelhas dos gêneros Apis de Trigona, que polinizam suas flores na busca de mel. Floresce de junho à setembro, e somente 10% das flores produzidas por essa espécie formam fruto com formato de vagem.
Bibliografia:
Lorenzi, Harri. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil. vol.1 3ªed. Instituto Plantarum SP, 2000.
http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Bracatinga/CultivodaBracatinga/apresentacao.htm
http://www.bracatinga.com.br/
http://www.ipef.br/identificacao/mimosa.scabrella.asp