Aribá

Reino:Plantae
Divisão:Magnoliophyta
Classe:Magnoliopsida
Subclasse:Rosidae
Ordem:Fabales
Família:Fabaceae
Subfamília:Faboideae
Género:Centrolobium
Espécie: Centrolobium tomentosum

Planta pioneira nativa das nas florestas semidecíduas da bacia do Paraná e afluentes, mata atlântica e nos estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Norte do Paraná.
É conhecida popularmente como araribá, araribá-rosa, aribá, araruva, ararauba, carijó, iriribá-rosa, putumuju (BA), tipiri (MG).
Pode alcançar de 10-22m de altura e seu tronco mede de 30-60 cm de diâmetro. Suas folhas são compostas imparipinadas, com 13-17 folíolos ferrugíneo-tomentosos na página inferior e pubescentes na superior.

Planta decídua, heliófita e seletiva xerófita, característica de encostas pedregosas da floresta semidecídua da bacia do Paraná.
Floresce de janeiro à março e os frutos amadurecem de agosto á setembro.
Possui madeira moderadamente pesada e de longa durabilidade, mesmo em condições adversas.
Os variados usos desta planta são desde emprego da madeira em construção naval, obras hidráulicas internas e externas, dormentes, confecção de portas, canoas, carroceria, marcenaria e carpintaria em geral, até decorativo devido à beleza de seu cerne. Além disso, pode ser empregada no paisagismo em geral, principalmente quando em flor. Na arborização de ruas e praças deve-se considerar o inconveniente de possíveis quedas de seus frutos espinhentos, que por seu formato pode ser levado pelo vento há grandes distâncias.

Outra utilização desta planta é na recomposição de áreas degradadas de preservação permanente em plantios mistos, seu crescimento rápido favorece seu emprego.
Para produção de mudas, deve-se recolher os frutos do chão (que caírem espontaneamente), cortar a asa do fruto e enterrá-los sem retirar as sementes da cápsula, dado a dificuldade de se abrir o fruto sem danificar as sementes; estas, possuem baixa durabilidade, não sendo mais viável sua utilização após 6 meses de armazenamento.
Deve-se colocar os frutos para germinar assim que colhidos, utilizando para isso um substrato organo-argiloso em recipientes individuais, armazená-los em um local semi-sombreado; cobri-los com 1cm de substrato peneirado e irrigar duas vezes por dia. Em média, a germinação ocorre de 15-25 dias, sendo 100% de germinação para as sementes novas.
As mudas desenvolvem-se rapidamente, e também observa-se um crescimento rápido das espécies, quando introduzidas no campo, podendo atingir de 4-5m aos 2 anos.

Fontes:

LORENZI, H. ÁRVORES BRASILEIRAS: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum, 1992. 352p.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Centrolobium_tomentosum